Água do alardo

Na encosta da Serra da Gardunha, junto à aldeia histórica de Castelo Novo, nasce a Água do Alardo, uma água leve, pura e cristalina que encontra refúgio entre Soutos de Castanheiros e pirâmide graníticas.

No inicio do séc. XX, muitos eram os aquistas que procuravam a Água do Alardo para fins terapêuticos por forma a mitigar problemas hepáticos ou com a diabetes. Em virtude da sua imensa procura, em 1916 procedeu-se à sua análise, onde Charles Lepierre concluiu tratar-se de uma excelente água de mesa, puríssima e muito digestiva, culminando, em 1922, com a atribuição do Alvará de Concessão.


A Água do Alardo pode comparar-se com excelentes águas estrangeiras, quer como água de mesa puríssima, quer como água minero-medicinal diurética e hipotónica. Em Portugal não conheço água tão pouco mineralizada e com composição semelhante à do ALARDO.


Em 1916 surgiam no mercado as primeiras garrafas de ALARDO e este era o texto de apresentação que constava nos rótulos e na publicidade da época os quais se mantêm actuais.


As Águas do Alardo brotam da rocha granítica na mais bonita encosta da Serra da Gardunha, um pouco acima da povoação de Castelo Novo. Esta povoação a curta distância do caminho de ferro e ligada a ele por uma pitoresca estrada, fica num dos sítios mais belos da Beira Baixa onde os tourists poderão fazer uma boa estação de cura.